Fiesta Sedan 1.6 L Flex: Quem ri por último, ri melhor

Modelo foi o último a chegar ao mercado com motor Flex; em compensação versão 2008 ficou melhor e mais bonita

14/02/2007 - Ricardo Panessa. Fotos Divulgação / Fonte: iCarros

 
 
  • 1 | 12
Não é todo mundo que nota as diferenças visuais entre o antigo Novo Fiesta e o novo Novo Fiesta, que foi lançado em janeiro, já na versão 2008. As modificações foram discretas, mas os resultados são notáveis. O capô alto com vincos, a grade dianteira tipo colméia e com formato retangular integrada ao pára-choque (igual a do EcoSport), e os faróis com dupla parábola e desenho mais envolvente, tornaram a frente do Novo Fiesta 2008 mais imponente e dinâmica. Mais bonito por fora, o modelo agrada também por dentro, onde recebeu poucas –e boas— alterações, e pelo bom desempenho do conjunto mecânico, em especial o do motor Rocam 1.6 Flex, com 101 a 111 cv de potência. A Ford foi a primeira montadora a anunciar, há quatro anos, a inclusão dos motores flex em sua linha de veículos produzidos no Brasil, mas a última a realmente disponibilizar o equipamento, anos depois, com o lançamento do EcoSport 1.6 Flex. Mas a demora valeu a pena: a carrinho é ágil, esperto e gostoso de dirigir. Mecânica eficiente A parte mecânica do Fiesta 2008 não sofreu alterações, exceto pelo aumento da capacidade do tanque de combustível, que passa de 45 para 54 litros –o maior do segmento--, o que garante, segundo a Ford, autonomia de 470 km quando utilizando álcool e 724 km com gasolina. Desconsiderando o benefício indiscutível do motor bi, que também é uma grande vantagem em motores de qualquer potência, o desempenho do Fiesta 1.6 Flex agrada rodando com qualquer um dos dois combustíveis, ou até com os dois misturados. Atuando em conjunto com um eficiente câmbio manual de cinco marchas bem escalonadas, o propulsor oferece acelerações e retomadas compatíveis, tornando-se especialmente arisco quando utilizado em rotações próximas aos 4.000 rpm. Embora mecanicamente o modelo não tenha recebido alterações, o projeto de modernização do Novo Fiesta incluiu o aperfeiçoamento da isolação acústica, que reduziram o nível de ruído interno em cerca de 5%, aumentando ainda mais o conforto de rodagem. As suspensões, independente na dianteira e semi-independente na traseira, com molas helicoidais, oferecem bom desempenho: são macias sem serem moles, e firmes sem serem duras, tornando o carro gostoso de dirigir sobre qualquer tipo de piso, inclusive os de terra. O modelo é ágil e fácil de guiar no pára-e-anda urbano, e veloz e seguro na estrada. Muitas qualidades Além das alterações estéticas, o novo Novo Fiesta Sedan 1.6 incorpora uma respeitável lista de itens de conforto interno. Boa posição de dirigir, excelente espaço interno --com destaque para o enorme porta-malas de 487 litros e para o porta-luvas, com luz de cortesia, de 11 litros—, e 22 utilíssimos porta-trecos. Bem resolvido no que diz respeito à ergonomia, o Fiesta Sedan, assim como o Hatch, oferece boa posição de dirigir, mas peca pela falta de regulagem de altura do volante da direção e pela ausência do chamado ´quarto pedal`, ou pedal de apoio, importante para conduzir em longas distâncias. O painel de instrumentos foi redesenhado, com marcadores de temperatura e de combustível novamente analógicos, e entradas de ar redondas com novo controle giratório, de comando intuitivo, simples e confortável. O bom nível de conforto interno é reforçado pela lista de equipamentos de série que o modelo oferece. A unidade testada --Sedan 1.6 L Trend-- já sai de fábrica com direção hidráulica, ar condicionado, aquecedor, vidros e travas elétricas, além do banco do motorista com regulagem de altura. Com esta configuração o modelo está sendo comercializado por R$ 41.640,00. Rodas de liga leve, faróis de neblina, air bags duplos, freios ABS, CD-Player, tweeters, bancos e volante revestidos em couro, vidros elétricos dianteiros e traseiros com acionamento a um toque e antiesmagamento, espelho retrovisor elétrico, temporizador dos vidros elétricos após o desligamento do motor e alarme antifurto são equipamentos opcionais, que elevam o preço final a R$ 50.670,00. Concorrência forte A linha Fiesta já vendeu mais de 12 milhões de unidades ao redor do mundo. Desde o lançamento de sua atual geração no Brasil, a produção e as vendas do modelo vêm crescendo. As vendas da versão Hatch já somam 212.000 unidades no país e as da versão Sedan, mais de 87.000. Incluindo a exportação, a linha Fiesta soma 550.000 veículos produzidos no País. No Brasil, o Fiesta Sedan 1.6 Flex, que tem preços entre R$ 36 mil e R$ 50,7 mil, dependendo das configurações, acessórios e equipamentos opcionais, vai disputar a preferência do consumidor com outros modelos de sucesso, como o Corsa Sedan 1.8 Flex (de R$ 34,2 mil a R$ 45,3 mil), Fiat Siena 1.4 Flex (de R$ 35 mil a R$ 43,1 mil), VW Polo Sedan 1.6 Totalflex (de R$ 43,2 mil a R$ 53,1 mil), e Renault Clio Sedan 1.6 Hi-Flex (de R$ 41,3 mil a R$ 50,5 mil). Ficha Técnica Motor: Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro Cilindrada (cm3): 1.598 Potência (cv): 105 a 5.500 rpm (gasolina) e 111 a 5.500 rpm (álcool) Torque (mkgf): 14,8 a 4.200 rpm Câmbio: manual, de cinco marchas Comprimento (m): 3,90 Largura (m): 1,76 Altura (m): 1,49 Entre-eixos (m): 2,48 Peso (kg): 1.090 Suspensões: Independente, tipo McPherson, com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos, na frente, e semi-independente, com corpo auto-estabilizante, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos, na traseira Freios: a disco nas rodas dianteiras e a tambor nas rodas traseiras Tanque de combustível (litros): 54
  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

publicidade