iCarros: Carros novos, usados e lançamentos
 
 

Sorento 2.5 a diesel é boa opção entre utilitários

Utilitário esportivo da Kia traz um bom conjunto para quem quer equilíbrio entre desempenho, design e conforto

16/06/2008 - Texto e fotos: Anelisa Lopes / Fonte: iCarros

  • Compartilhe esta matéria:
 
 
 
 
 
 
 
  • 1 | 14
  • Painel de instrumentos é discreto, mas com comandos bem localizados Ajuste do banco do motorista merecia sistema elétrico na versão de R$ 124.900 Computador de bordo tem pouca visualização para motoristas mais baixos Porta-malas leva 900 litros de bagagem Espaço abaixo do assoalho do babageiro Rodas de liga leve são de 16 polegadas
     
 
 
 
A boa recepção do Hyundai Tucson no Brasil tem sido o céu e o inferno para a concorrência asiática. De um lado, ofusca e rouba mercado dos seus rivais, representado por modelos como Mitsubishi TR-4, Honda CR-V (cuja versão 4x2 está sendo importada só para combatê-lo) e Kia Sportage, mas, por outro, mostra que os sul-coreanos estão com tudo no mercado brasileiro e que sua imagem, ao contrário do que acontecia no passado, tem gerado interesse e confiabilidade entre os brasileiros. Este é o caso do Kia Sorento. Disponível em versões a diesel (manual e automática) e a gasolina (somente automática), o modelo tem preços que partem dos R$ 106.900 e chegam aos R$ 134.900. Avaliado por iCarros na versão EX 2.5 a diesel com transmissão automática, que custa R$ 124.900, o Sorento é uma boa surpresa para quem busca equilíbrio entre desempenho, design e conforto. O Sorento não gera furor nas ruas pelo desempenho nem pelo design. É discreto, mas tem o mesmo apelo dos modelos que fazem parte do seu segmento: o principal deles, a posição mais alta para dirigir, além de tração 4x4 e bom espaço interno. O motor 2.5 a diesel ganhou 30 cv de potência e é responsável por 170 cv a 3.800 giros. O desempenho prioriza o uso na cidade, apesar da opção 4x4, com escolha entre baixa ou alta velocidade. Prova da sua vocação urbana é o torque máximo registrado em baixas rotações: 40 kgfm a 2.000 giros. Desempenho combina melhor com trocas seqüenciais O motor 2.5 do Sorento está associado a uma caixa automática com opção de trocas manuais – são cinco velocidades – realizadas por meio da alavanca do câmbio. No modo drive, a reação do veículo é morna. Não chega a surpreender, mas também não desaponta o motorista. Deixando a preguiça de lado e optando pelas trocas seqüenciais, o motor de 2,5 litros ganha mais fôlego e um melhor comportamento. Silencioso, não emite o ruído característico dos blocos a diesel. Em relação à tração, é possível escolher três modos de funcionamento: 4x2, usada em vias pavimentadas, e 4x4 low e high, ambas utilizadas em terrenos de pouca aderência, com a diferença de priorizar baixa e alta velocidade, respectivamente. Avaliado sob uma pista de terra seca como o 4x4 high acionado, o Sorento demonstrou valentia, já que ofereceu um comportamento estável, a uma velocidade média de 60 km/h nas retas e de 45 km/h nas curvas. Sorento mostra discrição no interior Assim como na aparência externa, a Kia também criou um ambiente discreto para a parte interna do Sorento. Couro na cor cinza e acabamento preto no painel de instrumentos ditam o tom desta versão, intermediária na linha a diesel (a mais acessível é a manual). O computador de bordo está localizado em um local inusitado, mas de difícil visualização para aqueles que precisam aproximar mais o banco da direção: em cima do retrovisor interno. Na lista dos itens de série, seguem os equipamentos: abertura e travamento elétrico das portas, abertura remota do porta-malas e da tampa de abastecimento de combustível, faróis de neblina, brake light, banco traseiro bipartido 60/40, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionadores e limitadores de carga, relógio digital, vidros e retrovisores elétricos, vidro da porta traseira rebatível, limpador e desembaçador do vidro traseiro, volante com regulagem de altura, roda de liga leve aro 16 com pneu 245/70 R16, bagageiro no teto, apoio de cabeça ativo, câmbio automático seqüencial de 5 velocidades, freios a disco ventilados nas 4 rodas com ABS E EBD, air bag motorista e passageiro, ar condicionado manual, acabamento interno em couro, cobertura do compartimento de carga, rádio com CD player e MP3, antena elétrica e spoiler traseiro. A versão superior a diesel traz a mais: airbag de cortina, rodas de 17 polegadas, piloto automático e teto solar. A distância de 2,71 metros no entreixos é compatível com o conforto de todos os passageiros, tanto na parte da frente como na de trás. No porta-malas, são 900 litros de bagagem, capacidade que pula para 1.960 litros com os bancos traseiros rebatidos. Teste drive feito a convite da Kia
  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário