KTM EXC-F 350 agrada trilheiros iniciantes e pilotos profissionais

Rodamos com a versão para trilha e enduro da moto campeã do mundo de motocross. Fácil de pilotar como uma 250cc e quase tão potente quanto uma 450cc

20/05/2011 - TEXTO: Arthur Caldeira (Infomoto) / Fotos: KTM - Divulgação / Fonte: iCarros

 
 
Câmbio de seis marchas tem engates precisos e embragem hidráulica é bastante macia
  • 1 | 14
  • Câmbio de seis marchas tem engates precisos e embragem hidráulica é bastante macia
  • Câmbio de seis marchas tem engates precisos e embragem hidráulica é bastante macia Comparando com o modelo de 250cc, a moto de 350cc tem mais torque em baixas rotações Quadro e suspensões foram redesenhados e aprimorados para 2012 em toda a família EXC Na linha EXC, a KTM adotou monoamortecedor traseiro fixado diretamente na balança traseira FReios da grife BRembo em ambas as rodas e aros de alumínio da Excel Motor de um cilindro e 393,4 cc foi adaptado às necessidades de trilheiros e enduristas A montanhosa região italiana de Barga foi palco do desenvolvimento da nova EXC-F 350 Quase pronta para competir, a EXC-F 350 vai disputar a categoria E2 nos campeonatos de Enduro A EXC-F 350 foi a principal atração do lançamento da linha 2012 de Enduro, realizado na Itália Versão de Enduro da campeã do mundo no motocross, a 350 tem partida elétrica e sistemade iluminação Leve e alta: pesando apenas 107,5 kg a seco, a EXC-F 350 tem banco a 97 cm do solo KTM EXC-F 350 tem mais torque que a 250cc para encarar "pirambeiras", mas não cansa tanto como a 450 Depois do sucesso no motocross,a KTM aposta na 350cc para sair vitoriosa também nas provas de Enduro Com mais de 45 cavalos de potência, EXC-F 350 quer derrotar as grandonas de 450cc
Reconhecida mundialmente como fabricante de motos off-road, a KTM lançou agora em maio a linha 2012 de seus modelos destinados ao enduro e também às trilhas. Completamente renovada, a família EXC, nomenclatura dada aos modelos de Enduro, conta com motores de dois a quatro tempos com capacidades que vão de 125cc a 500cc, todas repletas de novidades. Os chassis foram redesenhados, os motores ganharam importantes atualizações, assim como suspensões e freios, além de outras melhorias que visam deixá-las ainda mais dispostas a encarar todo tipo de terreno.

O lançamento mundial, realizado na montanhosa cidade de Barga, na região italiana da Toscana, proporcionou a jornalistas de todo o mundo (incluindo este que vos escreve) a oportunidade de testar todos os modelos: desde a pequena e leve EXC 125 com motor dois tempos à enorme e potente EXC-F 500 com propulsor quatro tempos. Sede da equipe de enduro da KTM, as difíceis e “pedregosas” trilhas italianas servem ainda como local de teste e desenvolvimento dos modelos da marca austríaca.

Apesar de apresentar sete modelos renovados, todas as atenções estavam voltadas para a inédita EXC-F 350. A KTM apostou na inusitada capacidade cúbica do motor no motocross e traz essa aposta agora para as trilhas e para o enduro. Todas as outras fábricas utilizam propulsores de 250cc nas categorias de entrada e de 450cc nos modelos maiores. Já a marca austríaca optou por desenvolver a 350 cc, especificamente para disputar a categoria MX1 do Motocross – para motos 2 tempos de 250 cc ou motos 4 tempos de até 450cc. A escolha foi feita para garantir uma entrega amigável de potência e torque sem perder muito em desempenho para as motos maiores.

Amigável, mas “torcuda”

A marca espera repetir o sucesso nos campeonatos de Enduro e também cair no gosto dos trilheiros. “Essa nova 350 é uma moto muito amigável. No off-road pesado, ela beneficia os amadores, já que é fácil de pilotar, tem uma boa entrega de potência e oferece boa tração. Tem torque suficiente para enfrentar uma subida íngreme, mas não exige tanto do piloto e não cansa tanto quanto a 450”, explica Joachin Sauer, gerente de produto da KTM para o novo modelo.

O motor tem a mesma base da moto de motocross, mas recebeu diversas alterações para se adaptar às trilhas. A começar pela cabeça do pistão menor e um cilindro maior. Dessa forma reduziu-se a compressão do motor de 13,5 para 12,3:1 de forma a proporcionar um comportamento mais suave. E aumentou a capacidade cúbica real para 393,4 cm³ (na versão de motocross são 349,7 cm³). O duplo comando das quatro válvulas foi desenvolvido para oferecer mais rendimento em baixas rotações. Em resumo, a moto de motocross precisa de mais rendimento em altos giros, enquanto trilheiros e enduristas necessitam de torque e potência em baixos e médios regimes.

Tudo isso controlado por uma central Keihin com injeção eletrônica que garante tração em diversas situações e um melhor controle do acelerador. Com a 350 EXC-F não precisa substituir giclês do carburador de acordo com a altitude ou temperatura: a eletrônica cuida disso. Outra novidade são os três mapas de gerenciamento do motor que adapta a motocicleta a diversos tipos de situação. O equipamento é de série, porém o seletor no guidão que permite a escolha de dois mapas pelo piloto durante uma trilha é opcional. Pesando apenas 28,5 kg, o propulsor ainda conta com partida elétrica e a pedal e a refrigeração é líquida.

Comparando com o modelo de 250cc na mesma trilha, pude perceber que a nova 350 permite uma tocada mais tranquila, ou seja, em giros mais baixos, mas com o mesmo torque. E também não faz feio quando você precisa de potência em altas rotações: segundo a KTM o propulsor oferece mais de 45 cavalos de potência máxima e pode girar até 12.000 rpm. “O suficiente para enfrentar qualquer 450cc na categoria Enduro 2”, garante Sauer, ex-campeão europeu de enduro.

Outra diferença para a moto de motocross é o câmbio de seis marchas, escalonado para um melhor aproveitamento do desempenho. Encaixes precisos e uma embreagem de acionamento hidráulico bastante macia – mais até do que em minha moto de rua, por exemplo.

Ciclística de competição

Com o slogan “Ready to Race” (pronta para competir) como marca registrada, a KTM não economiza nos equipamentos da nova 350 EXC-F – e de toda a linha de enduro. O quadro foi redesenhado para oferecer mais rigidez torsional. Construído em aço cromo-molibedênio, enquanto os concorrentes usam alumínio, a fábrica austríaca alega que o aço é mais resistente e por ser de alta qualidade pesa 0,5 kg a menos que a concorrência.

Para absorver os impactos das trilhas, a 350 EXC-F traz garfo telescópico invertido WP com tubos de 48 mm de diâmetro, na dianteira, com curso de 300 mm. Na traseira, a KTM inovou e apostou em um monoamortecedor WP fixado diretamente na balança em vez da fixação por links utilizada no motocross. “Dessa forma garantimos um amortecimento mais progressivo, reduzimos peso e aumentamos a distância livre do solo. Tudo pensando na proposta de enfrentar as piores trilhas”, explica Sauer. Ambas oferecem regulagem.

Os aros são de alumínio da marca Excel com raios cobertos com níquel/zinco e os fixadores dos raios (nipples) em alumínio – detalhe que, segundo a KTM, reduz em 200 gramas o peso em cada roda. Os pneus são os Metzeler 6 Days Extreme nas medidas 90/90-21, na frente; e 140/80-18, atrás. Completam o conjunto freios a disco Brembo. Os materiais nobres contribuem para o baixo peso da nova 350: apenas 107,5 kg a seco.

Equipada com tanque de 9,5 litros, a KTM EXC-F 350 traz ainda um painel digital simples e protetores de mão em plástico super rígido de série. Lançada agora em maio, a nova moto de enduro – e toda a linha EXC 2012 - chega às lojas européias no final deste mês. Ainda não há previsão de preço e nem de quando essa 350 vai desembarcar no Brasil, porém como a KTM está oficialmente por aqui, espera-se que até o Salão Duas Rodas, em outubro, a EXC-F 350 já deve estar disponível.

* o jornalista viajou a convite da KTM
Nesse teste INFOMOTO usou Equipamentos e Botas AXO e capacete LS2



FICHA TÉCNICA
KTM EXC-F 350


MOTOR: um cilindro, 393,4 cm³, DOHC, quatro tempos, refrigeração líquida
RELAÇÃO DE COMPRESSÃO 12,3 : 1
DIÂMETRO X CURSO 95 x 55,5 mm
POTÊNCIA MÁXIMA mais de 45 cv a
TORQUE MÁXIMO não declarado
CÂMBIO 6 marchas
QUADRO Berço duplo em aço cromo-molibdênio
TRANSMISSÃO FINAL por corrente
ALIMENTAÇÃO Injeção eletrônica de combustível
SUSPENSÃO DIANTEIRA Garfo telescópico invertido WP com tubos de 48 mm de diâmetro e 300 mm de curso
SUSPENSÃO TRASEIRA Balança traseira em alumínio com monoamortecedor WP com 335 mm de curso
FREIO DIANTEIRO Disco de 260 mm de diâmetro e pinça de dois pistões Brembo
FREIO TRASEIRO Disco simples com 220 mm de diâmetro e pinça de pistão simples
PNEU DIANTEIRO Metzeler Enduro 6 Days Extreme 90/90-21
PNEU TRASEIRO Metzeler Enduro 6 Days Extreme 140/80-21
ALTURA DO ASSENTO 970 mm
DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 1482 mm
TANQUE DE COMBUSTÍVEL 9,5 litros
PESO SECO 107,5 kg
CORES laranja
PREÇO Não disponível
  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

publicidade