iCarros: Carros novos, usados e lançamentos
 
 

Quanto realmente custa a inspeção veicular?

Além da taxa paga pelo serviço, se o carro for reprovado na primeira análise, os custos sobem para que o veículo passe no segundo teste

25/02/2009 - Texto e fotos: Thiago Moreno / Fonte: iCarros

  • Compartilhe esta matéria:
 
 
 
 
 
 
 
  • 1 | 9
  •  
 
 
 

No início deste ano, quando a prefeitura de São Paulo deu início às inspeções ambientais houve quem não gostasse da ideia, apesar do esforço do município em reduzir a poluição do ar paulistano. Um dos motivos de reprovação é o fato de os carros mais novos (a partir de 2003) serem os primeiros da lista, além da taxa a ser paga pelo serviço: R$ 52,89. A prefeitura prometeu devolver o valor caso o carro fosse aprovado de primeira no teste, mas, até o início do ano, não havia deixado claro como faria a devolução. Quem não fizer a inspeção, além de não poder efetuar o licenciamento do veículo, pode ser multado.

Para quem está com o carro em ordem e passa sem problemas pela inspeção, o prêmio é a taxa de agendamento devolvida. Mas, para os reprovados, além de perder o valor pago pela inscrição, os custos e o tempo perdido para regular o carro são grandes. Para conferir qual é o ‘custo da fumaça’, o iCarros utilizou um Ford Ecosport 1.6 flex ano 2005 das fotos como modelo.


Calvário

Quem não passar na inspeção veicular recebe um papel indicando que o proprietário do veículo tem 30 dias para reagendar o teste e este é o prazo que ele tem para colocar o carro em ordem. O Ecosport utilizado de modelo passou na análise, mas, e se não estivesse ok? Um dos problemas mais comuns é o combustível. Se estiver adulterado, a queima dentro do motor não será ideal e isso influenciará nos testes. Vale a pena investir num combustível de melhor procedência.

Outra peça que pode reprovar o carro é o filtro de ar do motor. Caso esteja em más condições ou entupido, a queima de combustível também não será ideal e é possível que o veículo seja reprovado. No caso do Ecosport, a peça custa R$ 32 e outros R$ 90 de mão-de-obra para efetuar a troca da peça em uma concessionária Ford da capital paulista.

Velas ruins ou em curto influenciam a queima e deixam o motor desregulado. O jogo de velas (com quatro) do Ecosport custa R$ 48 mais os R$ 90 cobrados por meia hora de mão de obra na oficina da montadora. Como as trocas das velas e do filtro de ar do motor são serviços mais simples, a concessionária diz que pode trocar as duas peças cobrando apenas uma mão-de-obra, caso as substituições sejam feitas em conjunto.

Ao contrário dos carros que utilizam carburadores, os modelos com injeção eletrônica dificilmente ficam com a marcha lenta desregulada. Se isso acontecer, há algo errado com o motor e o problema pode ser desde o combustível ruim a uma falha em algum dos sensores da injeção eletrônica. A diagnose do defeito demanda meia hora de mão-de-obra na concessionária Ford, ou seja, mais R$ 90 apenas para descobrir qual o problema.

Um fator decisivo na reprovação de um carro na inspeção é o catalisador. A peça reage quimicamente nos gases que saem do motor, reduzindo as emissões de poluentes. Se estiver com defeito, desgastado pelo uso ou por combustível ruim, a peça perde eficiência e aumenta os níveis de poluição emitidos pelo veículo.

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário