Strada ou Saveiro: a resposta para a pergunta de sempre

Brigando caçamba a caçamba pela liderança do segmento de picapes, Fiat e Volkswagen se enfrentam mais uma vez

21/06/2016 - Texto e fotos: Thiago Moreno / Fonte: iCarros

Lançada em março, a nova Volkswagen Saveiro se renovou para brigar com uma velha inimiga: a Fiat Strada. Enquanto a primeira se encheu de tecnologia para o modelo 2017,a  Strada permanece sem alterações desde 2013, quando foi apresentada a última reestilização e introduzida a carroceria cabine dupla com três portas, que revolucionou o mercado na época. Hoje, o iCarros avalia a Saveiro Cross Cabine Dupla e a Fiat Strada Adventure Extreme Cabine Dupla, as mais completas, para mostrar o que cada uma tem de melhor para oferecer e ver se o modelo da Fiat ainda tem o que é preciso para manter a liderança.

Leia mais:
Vejas as 10 picapes mais vendidas de junho
Volkswagen lança a nova Saveiro
Quer uma picape maior? Veja o que achamos da Chevrolet S10 e da Toyota Hilux

Volkswagen Saveiro Cross (R$ 69.990)

Recentemente atualizada, a Saveiro acompanhou de perto as atualizações dos “irmãos” Gol e Voyage, mas não todas. A grade e os faróis, por exemplo, são exclusivos da picape. Na versão Cross, é o único membro da família Gol a ainda oferecer o motor 1.6 16V MSI. O preço é puxado? Sim, mais que uma Renault Duster Oroch intermediária, por exemplo, mas a Saveiro tem muita tecnologia embarcada.

De série, traz direção hidráulica, ar-condicionado, espelhos elétricos, volante revestido de couro com comandos do rádio, tela central multimídia com Mirror Link, assistente de partida em rampa, controle de estabilidade, rodas aro 15 e vidros e travas com acionamento elétrico. O modelo das fotos, com pintura especial (R$ 1.691), traz ainda opcionais como tela multimídia com espelhamento da tela do celular e navegação por GPS e suporte de celular no painel com tomada USB dedicada (Kit NAV R$ 1.863); sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, piloto automático, espelho interno eletrocrômico e sensores de chuva e crepuscular (Kit Cross Completo R$ 2.680). Total: R$ 76.224.

Mecanicamente, tem o motor aspirado mais avançado da VW, o EA-211 1.6 16V flex com duplo comando variável de válvulas. O propulsor é capaz de gerar 120 cv com etanol e 110 cv com gasolina. O torque, respectivamente, é de 16,8 kgfm e 15,8 kgfm. O câmbio é manual de cinco marchas. Assim como as picapes mais modernas, a Saveiro dispensou o eixo rígido na traseira em favor amortecedores com molas helicoidais, como num carro. E assim como os melhores modelos da VW, na traseira nada de freios a tambor, pois são quatro discos de freio, um para cada roda. 

O resultado desse conjunto moderno é uma picape que em pouco lembra suas origens utilitárias. Na configuração Cross mais completa e com cabine dupla, o acabamento interno não deve em nada para um Golf de entrada, por exemplo, inclusive tendo emprestado o volante do hatch médio. Um pequeno detalhe muitas vezes esquecido é que a Saveiro tem a tampa traseira amortecida, facilitando a abertura e o fechamento, enquanto a caçamba pode ser trancada eletricamente pela chave, assim como as portas.

O fato de oferecer apenas duas portas acaba por limitar um pouco o uso do banco, mas, um vez por lá, cabem – na teoria – três adultos e todos contam com cintos de segurança de três pontos e encostos de cabeça. O espaço é, sim, limitado, mas até quatro adultos conseguem se acomodar bem para trajetos curtos. Nas medidas, o modelo tem 4,5 m de comprimento, 1,7 m de largura, 1,6 m de altura e 2,7 m de entre-eixos. Peso: 1.120 kg.

Guiando, o que mais impressiona é o comportamento de veiculo de passeio da Saveiro. Silenciosa, responde bem aos comandos do motorista e passa segurança nas mudanças de direção sem ser muito dura, pois absorve bem os desníveis de vias esburacadas. Com um câmbio de engates leves e precisos se poderia tolerar até um motor que exige constantes trocas de marchas, mas não é o caso: o 1.6 é elástico e responde sem trepidações e regimes mais baixos de rotação e entrega fôlego até praticamente o limite de giro.

Fiat Strada Adventure (R$ 70.850)

Para quem não se lembra, a Strada foi lançada em 1997. Recebeu algumas atualizações ao longo dos anos, sendo que a última aconteceu em 2013. Na época, o conceito de cabine dupla numa picape compacta parecia impossível e não fazia muito tempo que a Saveiro finalmente tinha aderido à cabine estendida. Quando o modelo da Fiat quebrou esse paradigma e ainda o fez com uma terceira porta, a concorrência teve de correr atrás. Mas já faz três anos desde esta alteração e, sem contar as mudanças visuais, a Strada está na mesma geração que substituiu a Fiorino há 20 anos.

Apesar de mais cara que a Saveiro no papel, a picape da Fiat tem uma lista de itens de série mais limitada. Há de série direção hidráulica, ar-condicionado, vidros e travas com acionamento elétrico, rodas de liga-leve aro 16 e espelho elétrico. Os opcionais do modelo das fotos, com o Kit da série especial Extreme (R$ 3.388), acrescenta tela multimídia com navegação por GPS e câmera de ré, rodas pintadas e detalhes exclusivos de acabamento. A pintura é perolizada (R$ 1.623). Total: R$ 75.861.

A mecânica não tem novidades. Na configuração mais completa a Strada é equipada com o motor E.Torq 1.8 16V, o mesmo usado em Punto, Bravo, Linea, Toro e Jeep Renegade (com pequenas alterações nos dois últimos). O motor, mesmo tendo quatro válvulas por cilindros, possui comando simples no cabeçote, sem variação de abertura. A entrega de potência é na ordem de 132 cv com etanol e 130 cv com gasolina. O torque é, respectivamente, de 18,9 kgfm e 18,4 kgfm. O câmbio é manual de cinco velocidades, mas há opção por uma transmissão automatizada de cinco marchas. O eixo traseiro é rígido apoiado por feixes de mola e os freios são a tambor nesse eixo posterior.

Andando na Strada é possível ver que tudo que era apreciado na picape há três anos já parece datado. O painel tem plásticos rígidos e variações na distância entre as peças montadas. Com a terceira porta na traseira, o acesso é bem simples – de um lado pelo menos – mas só há dois assentos. O espaço por lá também é menor que a Saveiro. Nas medidas, a Strada tem 4,5 m de comprimento, 1,7 m de largura, 1,7 m de altura, e 2,7 m de entre-eixos. Peso: 1.253 kg.

Ao volante, fica claro que a idade da Strada está começando a aparecer. Um rodar mais áspero, com isolamento acústico inferior e o eixo traseiro sempre sacudindo a caçamba ao menor sinal de buraco. O motor é mais potente e, de fato, anda mais que o da Saveiro. Porém, é preciso levar o giro para além das 3.000 rpm. Tarefa que não é facilitada pelo câmbio, pois é fácil errar a passada de segunda para terceira marcha.

Escolha de Thiago Moreno – Mais cara e de concepção mais antiga, fica difícil defender a Strada. Por outro lado, a Saveiro se mostrou melhor ao guiar, mais equipada e melhor acabada que a rival, levando o comparativo.

 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

 

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro