Expedição leva Chevrolet Caravan 1976 para rodar o Brasil

Dois fotógrafos rodaram 24 mil quilômetros pelo Brasil inteiro a bordo de uma perua com nada menos que 41 anos de idade

08/08/2017 - Redação / Fotos: Marcio Sanches / Fonte: iCarros

A bordo de uma Chevrolet Caravan 1976, os fotógrafos Otávio Lino e Marcio Sanches atravessaram 24 mil quilômetros por diversas paisagens no Brasil. Fabricada no Brasil, a perua derivada do Opala foi um dos modelos mais longevos da General Motors por aqui, sendo produzida interruptamente entre 1975 e 1992.

Leia mais:
Chevrolet Cruze vende mais que Honda Civic em julho
SUV da Ferrari é confirmado por presidente da marca
Os esportivos mais econômicos do Brasil em 2017

A Caravan 1976, adaptada por eles para a chamada Expedição Raiz, saiu de São Paulo e passou por diversas paisagens do Sul, Sudeste e Nordeste brasileiro. Ela visitou Vale do Ribeira, Pantanal, Jalapão, Chapada dos Veadeiros, Belém, Lençóis Maranhenses, Chapada Diamantina, Serra da Mantiqueira, Paraty.

Vai financiar seu próximo carro? Simule o valor das parcelas aqui 

Ao todo, foram 240 dias na estrada e R$ 3.000 levantados com as vendas das fotografias produzidas durante a viagem. A Expedição Raiz será publicada em 12 reportagens no site www.expedicaoraiz.com.br, e poderá ganhar também uma série de televisão, de acordo com a dupla. 

A Caravan 1976 utilizada na expedição tinha o motor 2.5 de quatro cilindros, conhecido como 151 pelos fãs em referência à capacidade cúbica do motor em polegadas. Segundo Otávio, a perua teve sim alguns percalços pelo caminho: "Nós tivemos muitos problemas com o carro, com certeza! Não tinha como não ter, mas a maioria dos problemas a culpa foi nossa, foi por uso excessivo da força, ou por colocá-la em situação que não estava preparada", afirmou.

Além de um motor do limpador de parabrisa que parou de funcionar, um pneu furado e alguns vidros quebrados na estrada, a perua teve alguns problemas mais sérios ao encarar o Brasil, como o platinado que exigia regulagem constantemente e o motor de arranque que pediu aposentadoria mais cedo. 

"O pior momento da expedição foi no Jalapão, Tocantins, uma região onde as estradas são todas de terra. Batemos o carro em uma pedra que estava enterrada na areia. Entortamos a estrutura do carro de tal forma que precisamos descer pela janela porque as portas não abriam. Tivemos que trocar o agregado dianteiro, o que exigiu a retirarada do motor do carro. Passamos 28 dias morando em uma oficina mecânica em Mateiros (TO), uma cidade que tem 1800 habitantes", contou o fotógrafo Otávio com exclusividade ao iCarros.

SUV pra quê?

Lino afirma que a escolha por uma Caravan foi acertada: "nós temos certeza que escolhemos um carro muito adequado para o que queríamos. Adaptamos ele inteiro por dentro, tínhamos duas tomadas 110v para trabalhar, luzes de led espalhadas pelo carro, baús pra guardar todo nosso equipamento de foto e vídeo. Além de ter um motor muito simples e forte, a Caravan é um carro grande e confortável. Sem contar que, em qualquer lugar que a gente chegasse, chamávamos atenção com o carro, muito mais do que se fosse um SUV moderno. E causava simpatia das pessoas!".
 

 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro