408 inaugura nova onda de sedãs médios

Sedã da marca francesa quer abocanhar mercado de Honda Civic e Toyota Corolla por R$ 59.500

16/02/2011 - Anelisa Lopes, do Rio de Janeiro (RJ) / Fonte: iCarros

A Renault inovou com o Fluence para substituir o Mégane. O Toyota Corolla está na fila para ser atualizado. A Volkswagen promete um Jetta mais acessível. E a Peugeot acaba de lançar oficialmente o 408 no lugar do 307 Sedan. E assim se dará o primeiro semestre de 2011 no segmento de sedãs médios, mercado que vende 200 mil carros por ano. 

No caso do lançamento da Peugeot, a montadora busca, sobretudo, ser o calcanhar de aquiles das japonesas. E, para isso, investiu fortemente no serviço de pós venda, inclusive, com garantia de três anos. A meta inicial é comercializar cerca de 13 mil carros no ano e, quando sua posição estiver consolidada, abocanhar 10% do total deste mercado. A ofensiva do 408 será baseada em três opções: Allure, Feline e Griffe, todas com motor de 2,0 litros flex, diferenciadas pelo acabamento e oferta de equipamentos. A expectativa é que a versão intermediária responda por 60% do total.

Os preços variam entre R$ 59.500 e R$ 79.900, sendo que o mais barato, além do câmbio automático de quatro velocidades, também pode ter caixa manual de cinco. No segundo semestre, a versão com motor 1.6 turbo de 165 cv de potência e câmbio sequencial de seis velocidades, com borboletas na direção, será trazida para o Brasil.

À primeira vista, os farois rasgados e o novo logotipo da marca francesa saltam aos olhos na dianteira. Mais uma vez, no entanto, como aconteceu no 307 Sedan e no 207, houve falta de conversa entre a parte da frante e de trás, o que resultou numa mistura de ousadia e pobreza na carroceria. As lanternas ficaram pequenas para o porte do carro.

Espaçoso, o sedã de 2,71 metros de entre-eixos e 4,69 metros de comprimento (só perde em tamanho para o Citroën C4 Pallas) chega a carregar confortavelmente cinco adultos, que dispõem de um porta-malas de 526 litros. Para ter preço competitivo, porém, mesmo na versão topo de linha, a montadora sacrificou o acabamento da cabine. O painel do 408 agrupa os comandos de forma simplificada.

Na versão topo de linha, o modelo vem com freios ABS, seis airbags, controle de estabilidade, direção eletro-hidráulica, piloto automático, rodas de liga leve de 17 polegadas, teto solar elétrico, GPS, bancos de couro, sensor de chuva e estacionamento, entre outros. As vendas do 408 começam na segunda quinzena de março.

Câmbio diminui trancos nas mudanças de marcha

Na arrancada, a primeira percepção se dá na melhora da caixa de câmbio escolhida para equipar o 408. Quem já teve contato com outros modelos automáticos da linha sabe que suavidade não é o seu forte.

Dessa vez, a montadora desenvolveu um sistema que prioriza a saída e as trocas de velocidade. Na prática, as mudanças são menos sentidas, dando mais ânimo e agilidade na condução. O novo câmbio de quatro velocidades, porém, só está disponível no 408. O conjunto mecânico é complementado por um motor de 2,0 litros de 151 cv de potência e 22 mkgf de torque. Durante o teste drive entre a cidade do Rio de Janeiro e Petrópolis, o desempenho do sedã agradou. Nas curvas, o carro mostrou-se estável, sem ter precisado abusar da rigidez na suspensão. 

Viagem feita a convite da Peugeot

 

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro