Fiat Linea quer brigar com Corolla, Civic e Vectra

Montadora volta ao mercado de sedãs médios e aposta no preço para bater os rivais mais vendidos do segmento

19/09/2008 - Fernando Pedroso / Fotos: Divulgação / Fonte: iCarros

Depois do Tempra e do Marea, a Fiat aposta agora no Linea para engrenar de vez no mercado de sedãs médios, segmento no qual a montadora ainda não conseguiu se estabelecer e que demonstrou franco crescimento desde o lançamento do Honda Civic, em 2006. A briga não será fácil, já que o novo modelo contará com rivais de respeito, como o agora líder Toyota Corolla, que conquistou a primeira posição no mês passado, o próprio Honda Civic, o Chevrolet Vectra e a recém-chegada segunda geração do Ford Focus Sedan. O primeiro golpe da fábrica de Betim (MG) é o preço em conjunto com o pacote de equipamentos. O Linea mais barato, com motor 1.9 16V, já sai de fábrica com itens como ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, freios ABS, computador de bordo entre outros itens. O valor dele começa em R$ 60.900. Por R$ 63.900, é possível incluir o câmbio automatizado Dualogic, o mesmo que estreou no hatch Stilo. Com ele, o sedã também ganha o piloto automático. Com o mesmo bloco, há também a versão Absolute, que inclui ar-condicionado digital, bancos de couro, sistema Blue&Me de comunicação, cortina no vidro traseiro, rodas de 16 polegadas e sensor de estacionamento. O Linea Absolute custa R$ 68.640. O topo da gama é o T-Jet, que sai da loja por R$ 78.900. Além de já vir com todos os itens da versão Absolute (menos o câmbio Dualogic), a versão esportiva vem com rodas de 17 polegadas e com um motor turbo de 1,4 litro de 152 cv de potência a 5.500 rpm e torque máximo de 21,1 kgfm, alcançado entre 2.250 e 4.500 giros. De acordo com a Fiat, o Linea T-Jet acelera de 0 a 100 km/h em 8,5 segundos e atinge 203 km/h. ‘Este propulsor faz parte de uma tendência mundial, que tira potência com baixa cilindrada para melhorar o consumo’, disse Cláudio Demaria, diretor de engenharia da montadora, que anuncia 11,96 km/l na cidade e 15,91 km/l na estrada para o consumo do veículo. O motor é importado, mas é o mesmo Fire de 1,4 litro que equipa a família Palio, Idea e Punto, porém, com turbocompressor. Ao contrário da maioria dos propulsores sobrealimentados, ele mostra força desde cedo, mas é depois dos 2.000 giros que mostra todo o seu desempenho, que não chega a encher os olhos, mas satisfaz quem quer mais além do que os sedãs médios oferecem, mas que ainda não precisam de um Honda Civic Si. Versão mais vendida tem motor inédito A versão T-Jet corresponde a 10% do mix da linha. Os outros 90% são ocupados pelas três versões equipadas com o inédito propulsor de 1,9 litro de 16 válvulas que rende 130 cv com gasolina e 132 cv com álcool a 5.500 rpm O torque é de 18,1 kgfm com gasolina e 18,6 kgfm com álcool a 4.500 rpm. Ele é baseado no antigo Corsa Lunga 1.6 16V que equipou a linha Palio, Brava e Marea, mas com novo bloco, pistões e comando de válvulas. Ao contrário dos seus rivais japoneses, o comando não é variável e poucas partes do motor são feitas de alumínio, o que reduziria o peso do conjunto.
  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro