Ford Edge ST quer ser o SUV Sport e Utility | 1º Contato

SUVs já se provaram práticos, agora querem entrar no mundo dos esportivos

25/04/2019 - João Brigato / Fotos: Divulgação / Fonte: iCarros

Desde seu lançamento no Brasil em 2008, o Ford Edge sempre trilhou pelo caminho de luxo. Era a alternativa mais barata e equipada a SUVs de marcas de luxo. Agora na segunda geração reestilizada, a Ford no Brasil seguiu por outro caminho: por R$ 299.000 ela quer que o Edge ST seja visto como um esportivo.

Leia mais:
Ford Edge ST já está nas concessionárias por R$ 299 mil
Ford aumenta novamente produção de SUVs no EUA
Honda lança novo SUV grande Passport, maior que o CR-V

S de esportivo

Por definição, a palavra SUV significa Sport Utility Vehicle, ou Veículo Utilitário Esportivo no bom português. Fato era que o Edge ST com seus colossais 4,80 m de comprimento, 1,73 m de altura, 2,17 m de largura e 2,83 m de entre-eixos estaria mais para o lado Utility do que para o lado Sport.

Confira aqui ofertas de Edge na sua cidade

No entanto, com a versão ST, a Ford almeja colocar o Edge um degrau abaixo do Mustang. Seu motor V6 2.7 biturbo com 335 cv e 54,5 kgfm de torque realmente o posicona alí. O ST acelera com vigor de esportivo, colando o motorista no banco enquanto ganha velocidade sem parecer pesar 2.116 kg. Um verdadeiro mamute.

Apesar disso, o consumo não é nada ruim como se esperaria de um V6 grande. Segundo o INMETRO, ele bate os 7,3 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada, abastecido somente com gasolina. O ronco invade a cabine pedindo licença: somente quando você o autoriza por meio do modo de condução esportivo.

Simule as parcelas do seu próximo carro aqui

A direção é dura e pesada, como se espera de um esportivo, não de um SUV. Isso faz com que o Edge ST pareca pesado na hora das manobras, mas firme na estrada. Poderia ser mais progressivo e comunicar melhor o que passa nas rodas, já que a ideia era a esportividade.

U de Utility

Como não há milagre, o lado SUV do Edge ST se faz evidente de maneira clara. A suspensão é mais dura que de um Edge normal, sendo 10% mais rígida na dianteira e 20% na traseira. No entanto, ainda deixa a carroceria inclinar relativamente nas curvas.

Em estradas de terra, no entanto, há uma recompensa pois o rodar é macio e sem grandes solavancos. Ainda que as rodas de 21 polegadas pintadas em preto o façam pensar o contrário.

A transmissão automática de oito marchas também está lá pelo mais utilitário do Edge. Segundo a Ford, ela foi recalibrada para o ST, mas ainda é voltada ao conforto, com trocas suaves mesmo em modo Sport. Reduções não são tão rápidas quanto no cambio de dez marchas do Mustang. Já a tração nas quatro rodas privilegia a força na dianteira, atuando na traseira apenas sob demanda.

No campo do utilitário ainda vale falar sobre o interior do Edge. Ele é inegavelmente refinado e grande. Há espaço para cinco pessoas terem conforto. Os bancos esportivos de couro e camurça perfurada dão um ar esportivo ao SUV, ainda que tenha poucas evidências além do logo ST no volante que corroborem com isso. O visual é moderno e agradável, ponto para o Ford.

Há matérias macios por toda parte e acabamento esmerado. A central multimidia é a mesma excelente usada no EcoSport e no Ka. Já o painel de instrumentos parcialmente digital vem de Ranger e Fusion. Tudo dentro de casa, moderno e fácil de usar.

Para entreter a criançada no banco traseiro, ficam duas telas de oito polegadas sem sensibilidade ao toque. Elas podem receber espelhamento de celular, DVD e até ser plugadas em um vídeo game. Há ainda bancos aquecidos para os passageiros de trás, enquanto os da frente recebem também esfriamento.

De série, o Edge ST ainda leva park assist, piloto automático adaptativo, farol full-LED com assistente de luz alta, partida sem chave, porta-malas com abertura elétrica, bancos dianteiros elétricos, volante com regulagem elétrica, teto solar panorâmico, entre outros.

Conclusão

Reunir características de esportivo e de utilitário custou alguns sacrifícios da Ford. Primeiro temos o preço de R$ 299 mil que o coloca no patamar de Mercedes, Audi, BMW, Volvo e Jaguar. A marca rebate com lista de itens de série mais completa e motor mais potente.

Outro sacrifico está na sua fórmula. Não dá para ser totalmente Sport e totalmente Utility, um lado tem que ceder. O Ford Edge ST anda bem para um carro de seu tamanho e potência, mas alguns rivais há mais tempo no mercado ou são mais esportivos de fato ou mais utilitários, incluindo opções de sete lugares. Não é o Mustang dos SUVs, mas é a garantia de que você terá pitadas consideráveis do lado sport e do utility de um SUV.

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro