Hyundai Creta 2019: o preço de ser líder

O SUV compacto mais vendido do Brasil tem algum segredo para o sucesso? É isso que vamos tentar responder

14/02/2019 - Texto e Fotos: Thiago Moreno / Fonte: iCarros

Em 2018, 48.976 garagens brasileiras ganharam um Hyundai Creta para chamar de seu. Assim, o modelo foi o SUV compacto mais vendido do Brasil. Em termos de utilitários, ficou atrás apenas do Jeep Compass, que é um SUV médio. Mas, com grandes lideranças, chegam grandes responsabilidades e o iCarros avaliou a versão Pulse Plus 1.6 AT de R$ 92.990 para ver onde o carro justifica a preferência e onde ele poderia mudar.

Leia mais:
Em números: EcoSport Titanium ou Creta Prestige?
Veja ofertas de Hyundai Creta perto de você
Simule aqui o quanto gastar nas parcelas de seu próximo carro

O que ele traz?

A versão Pulse Plus é a mais completa e, portanto, a mais cara da linha Creta ainda equipada com motor 1.6. De série, ela traz equipamentos como repetidores de seta nos espelhos, rack de teto, rodas de 17 polegadas, bancos com revestimento de tecido e regulagem de altura para o motorista, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, faróis de neblina, monitoramento da pressão dos pneus, Isofix para fixação de assentos infantis, cintos de três pontos e encostos de cabeça para todos os ocupantes e alarme perimétrico.

A versão Pulse Plus é mais barata a também oferecer o ar-condicionado automático digital. Além disso, tem ainda direção com assistência elétrica progressiva, vidros elétricos com função um toque para todos as janelas, travas elétricas, espelhos com ajuste elétrico, start/stop, computador de bordo, central multimídia com tela de 7 polegadas e integração via Android Auto ou Apple Car Play, câmera de ré, sensores de estacionamento traseiros e acendimento automático dos faróis.

Ficha técnica

Nas medidas, o Hyundai Creta na versão Pulse Plus tem 4,27m de comprimento, 1,78 m de largura, 1,63 m de altura e 2,59 m de entre-eixos. O porta-malas consegue acomodar até 431 litros de bagagens e o peso declarado do modelo é de 1.359 kg.

Sob o capô está um motor 1.6 16V flex com duplo comando variável de válvulas e capaz de entregar 130 cv de potência e 16,5 kgfm de torque com etanol. Com gasolina, respectivamente, são 123 cv e 16 kgfm. Nessa configuração, única opção de transmissão é automática de seis velocidades. A única versão que pode ter a caixa manual de seis marchas é a Attitude, a mais básica.

Explicando o sucesso

Um dos primeiros pontos que se destacam no Hyundai Creta é o visual. Apesar da grade dianteira de grandes proporções, o restante do carro tem linhas fluídas e simples, mais agradáveis aos olhos. Em um mercado de compras emocionais como o brasileiro, é um ponto positivo.

Outro fator que explica o sucesso do Creta são as dimensões. O visual do carro faz ele parecer maior do que realmente é, mas mesmo sem tal artifício, ele tem um dos maiores entre-eixos de sua categoria, além de um porta-malas simples de usar e com bastante espaço. Com um perfil de teto mais quadrado, o espaço para as cabeças também não é problema.

Além disso, seu preço está em par com o dos principais rivais do Creta e o SUV da Hyundai também já traz os principais equipamentos exigidos pelos consumidores de tal segmento. E vai um pouco além em itens como controle de estabilidade.

Onde poderia melhorar

Para um carro que passa da marca dos R$ 90 mil, o acabamento interno do Creta parece simples. As peças são bem montadas e, com boa mistura de texturas, agrada aos olhos. No entanto, apesar de ter tecido e material sintético nos encostos de braço nas portas, os plásticos da cabine poderiam se beneficiar de um refinamento maior.

Na parte mecânica, incomoda o fato de o modelo ainda trazer freios a tambor na traseira. E essa crítica vai para boa parte dos SUVs compactos atualmente à venda no Brasil, pois apenas o Jeep Renegade traz tal equipamento.

O motor 1.6 vai bem na cidade, mas considerando as respostas em retomadas e o ruído pouco inspirador do propulsor acima de 4.000 rpm, há espaço para melhorias, pois o motor parece ser apenas o mínimo necessário para colocar o Creta em movimento. O câmbio automático vai bem no geral, com trocas suaves e antecipadas, mas em retomadas leva um tempo para fazer a redução após o motorista cravar o pé no acelerador.

Conclusão

A Hyundai não fala em números, mas informa que a Pulse Plus 1.6 é apenas a terceira versão mais vendida do SUV, ficando atrás da versão automática de entrada para PCD e da Prestige 2.0. O Creta tem sim vários atributos que agradaram em cheio seu público alvo, como visual e lista de equipamentos de série.

No entanto, agora que todos os olhos estão voltados para ele, a Hyundai precisa assumir a responsabilidade que vem junto ao fato de ter o veículo mais vendido no país em seu segmento.

 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

 

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro