Mitos e verdades sobre o teste do bafômetro

Vinagre, antisséptico bucal, bombom de licor: são tantas lendas que você sabe o que é verdade?

27/03/2018 - Redação / Foto: Divulgação / Fonte: iCarros

Você com certeza já ouviu que tomar vinagre antes de fazer o teste de bafômetro pode burlar o equipamento. Mas será que funciona mesmo? Existem várias outras ideias, como usar antisséptico bucal, refrigerante e até chiclete. Se você tem dúvidas se isso funciona ou não, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) fez um guia básico do que é mito e o que é verdade. 

Leia mais:
Governo usa radares para cobrar IPVA 
Você sabe quem inventou a seta? E o velocímetro?  
19 infrações que causam a suspensão da CNH

Primeiro, é importante entender que o bafômetro mede a quantidade de álcool ingerida que passou para a circulação sanguínea e para o sistema respiratório. 

Vinagre funciona?

Não. "O vinagre não consegue interferir no etanol exalado pelos pulmões. Além disso, se o vinagre contiver álcool, isso pode até agravar o resultado positivo do teste", explica o gastroenterologista José Luiz Capalbo, médico responsável pelo Centro de Gastroenterologia do Hospital 9 de Julho.

E medicamentos? 

Recentemente surgiu a ideia de usar Metadoxil (piridoxina ou vitamina B6), um medicamento que acelera a metabolização do álcool do fígado e é mais utilizado no tratamento de alcoolismo e alterações hepáticas. Mas ele também não surte efeito.

Bombom de licor acusa?

Outra lenda bem comum é a ideia de que se você comer um bombom de licor o bafômetro dará resultado positivo. O mesmo ocorreria ao usar antisséptico bucal. Contudo, por apresentarem baixa concentração alcoólica, ambos os produtos deixam o álcool apenas na mucosa bucal, sumindo assim rapidamente.

Se for o seu caso, você pode fazer bochecho com água e aguardar alguns minutos para fazer o teste ao ser abordado. Se for mesmo só um bombom, isso resolverá. 

Quanto tempo leva para absorver o álcool?

A absorção é feita em poucos minutos, mas o processo de eliminação do organismo é lento. “O pico de concentração etílica no sangue ocorre cerca de 30 a 45 minutos após o álcool ser ingerido”, destaca Capalbo. Já a eliminação pode levar até dez horas e o médico alerta que não há formas eficientes de acelerar esse processo.

Só uma latinha

A Lei Seca estipula que não há qualquer quantidade de bebida alcoólica aceitável, nem mesmo uma ou duas latinhas de cerveja.

Qual é a multa?

Se você for autuado por dirigir após ingerir bebida alcoólica, a multa é de R$ 2.934,70, além de o motorista responder a processo de suspensão do direito de dirigir e ficar impedido de guiar novamente por um ano.

E se eu recusar?

A recusa também é uma infração e, caso você não aceite fazer o teste do bafômetro em uma blitze, será autuado da mesma forma como se tivesse a embriaguez atestada. Ou seja, a multa é de R$ 2.934,70, além de ser notificado a responder processo de suspensão do direito de dirigir pelo período de um ano.

Quando vira crime?

Ao fazer o teste do bafômetro, é crime quando o índice for superior a 0,33 miligrama de álcool por litro de ar expelido. O mesmo caso de aplica se o motorista se recusar o fazer o teste e o perito da Polícia Técnico-Científica identificar nele atitudes como cambalear, apresentar problemas de coordenação motora ou falar coisas sem sentido. Entre as penalidades estão prisão, multa (de R$ 2.934,70) e a suspensão da habilitação por doze meses.

E quem for reincidente em um período de 12 meses é multado em R$ 5.869,40, respondendo a processo de cassação do direito de dirigir por dois anos.

 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro