Tudo sobre câmbio

iCarros selecionou as principais dúvidas sobre os tipos de câmbio e seu funcionamento. Confira!

05/01/2016 - Redação / Foto: Divulgação / Fonte: iCarros

O que é câmbio?
O câmbio – que também atende pelo termo “transmissão” - é um componente mecânico utilizado pelos veículos motorizados para transmitir a força produzida pelo motor às rodas. Construído com um conjunto de engrenagens e eixos, o câmbio permite que obter o melhor rendimento do conjunto mecânico, pois ele determina qual será a faixa de rotação na qual o motor deve atuar.

O que é relação de marcha?
A relação de marcha indica o quanto a força gerada pelo motor será multiplicada antes de ser transmitida às rodas. No caso de relações altas, normalmente utilizadas nas marchas mais baixas, a força será aumentada para permitir que o veículo saia com mais facilidade. Já no caso das últimas marchas, a relação será menor, para garantir que o motor trabalhe sem tanto esforço em altas velocidades.

Isso é definido por meio da combinação de engrenagens no interior do câmbio, modificando a diferença entre o número de voltas dadas pelo motor e o número de voltas que “saem” da transmissão. Por exemplo, se o virabrequim do motor dá duas voltas a cada volta da engrenagem em uma determinada marcha, é possível afirmar que ela tem relação de 2:1 (dois para um) - em uma relação 1:1, o motor e a engrenagem da transmissão estariam girando em uma mesma velocidade.

O que é embreagem?
O conjunto de embreagem é o sistema responsável por unir o motor à caixa de transmissão nos sistemas de câmbio manual e automatizados. A força produzida pelo motor é enviada por meio de um disco chamado de “volante do motor”. Este disco se conecta ao disco de embreagem graças ao platô – um componente que comprime um disco contra o outro.

Por um padrão adotado na indústria automotiva, a embreagem é acionada com o pedal esquerdo pelo condutor. Quando o condutor pressiona este pedal - ou, nos casos dos câmbios automatizados, quando o computador a aciona a embreagem - uma peça chamada platô perde pressão, afastando o volante do motor e o disco de embreagem. Com isso, a ligação entre o motor e o sistema de transmissão é interrompida.

Com a caixa de câmbio desconectada do motor, as engrenagens da transmissão podem se movimentar livremente, permitindo que outra marcha seja engatada. Quando o condutor libera o pedal de embreagem - ou, no caso dos câmbios automatizados, quando o computador interrompe o acionamento da embreagem -, o platô volta a unir o volante do motor ao disco de embreagem, reestabelecendo a ligação entre o propulsor e o câmbio.

Quais são os tipos de câmbio?
Atualmente, estão disponíveis no mercado diferentes tipos de câmbio, sendo que os sistemas mais comuns são: manual, automático e automatizado, mas há também o de dupla embreagem e CVT. Cada um destes sistemas atua de uma forma, mas, no geral, as caixas de transmissão possuem engrenagens com diferentes relações de marchas, que estabelecem a conversão de força e rotação produzida pelo motor que chegará às rodas – com exceção do sistema CVT, que atua com polias.

O que é borboleta?
“Borboleta” é o nome popular para as alavancas de trocas de marchas, que normalmente são instaladas na coluna de direção, ou até mesmo no próprio volante. Este tipo de acionamento permite que o condutor troque de marchas em câmbios automáticos. Mas ao contrário do que alguns podem imaginar, eles são apenas botões que enviam comandos de troca de marcha à transmissão, funcionando igual aos botões que alguns modelos trazem na própria alavanca de câmbio.

O que é o câmbio manual?
O sistema de câmbio manual é um tipo de transmissão que utiliza o conjunto de embreagem para se conectar ao motor, além de depender do condutor para realizar as trocas de marchas.

Para quem é indicado o câmbio manual?
O câmbio manual é indicado para os motoristas que preferem interferir diretamente na condução do veículo. Além disso, por ser o sistema mais difundido atualmente no País, ele pode ser uma boa opção para quem deseja manutenção mais em conta, já que é mais fácil de encontrar peças e reparadores para este tipo de transmissão.

Como funciona o câmbio manual?
Neste tipo de câmbio, é o próprio condutor quem deve realizar o acionamento da embreagem e a seleção da marcha a ser adotada na transmissão. Este processo se inicia ao pressionar o pedal de embreagem para desacoplar o motor e liberar a movimentação das engrenagens da caixa de câmbio.

Ao movimentar a alavanca de câmbio, o condutor aciona um componente chamado garfo de engate – este acionamento pode ser feito por varões, que transmitem mais vibração do conjunto mecânico para a alavanca, ou por cabos. Ao selecionar a marcha desejada, o garfo de engate faz com que as luvas de engate se encaixem à engrenagem desejada.

O que é câmbio automático?
Como o próprio nome diz, o sistema de câmbio automático realiza todo o processo de seleção de marchas sem a interferência do condutor. Em termos de construção, a principal diferença em relação à transmissão manual é a adoção de engrenagens diferenciadas, chamadas planetárias, e do conversor de torque, que substitui o conjunto da embreagem.

Para quem é indicado o câmbio automático?
O câmbio automático é indicado para pessoas que não queiram, ou que não podem realizar o processo de acionamento das marchas, que consiste em pressionar o pedal da embreagem e movimentar a alavanca da transmissão. As desvantagens do câmbio automático são o custo de manutenção mais elevado em relação às transmissões manuais e alguns cuidados específicos para a utilização. Além disso, os veículos equipados com este sistema de câmbio também costumam ser mais caros que as versões equivalentes equipadas com câmbio manual.

Como funciona o câmbio automático?
Ao contrário do sistema de câmbio manual, que possui engrenagens separadas com diferentes relações para cada marcha, o sistema de câmbio automático possui um sistema de engrenagem planetária. Este tipo de engrenagem reúne em seu interior diversas engrenagens menores com diferentes tamanhos.

Neste caso, a troca de marcha acontece quando o sistema analisa a velocidade do veículo e a rotação do motor, criando uma combinação de engrenagens mais favorável. Diferentemente de uma transmissão manual - na qual a marcha varia de acordo com a engrenagem selecionada -, na transmissão automática a relação de marcha é definida conforme a ordem de combinação das engrenagens no interior da engrenagem planetária, permitindo que diferentes relações sejam reproduzidas.

Já a ligação entre a caixa de transmissão automática e o motor é feita de forma indireta, graças a um componente chamado conversor de torque. Este sistema contém um fluido interno que é bombeado pelo motor, fazendo com que outra peça em forma de turbina seja movimentada. Esta “turbina” é responsável pela transferência de força do motor à transmissão - enquanto o câmbio manual está fisicamente ligado ao motor por meio do conjunto de embreagem.

O que é câmbio automatizado?
O câmbio automatizado possui funcionamento semelhante ao da transmissão manual convencional, entretanto, ao invés do condutor, é um sistema computadorizado que realiza o acionamento da embreagem, bem como a troca das marchas. Ou seja, não há o terceiro pedal.

Para quem é indicado o câmbio automatizado?
No caso dos câmbios automatizados simples, de apenas uma embreagem, eles são aconselhados às pessoas que buscam um veículo automático, porém, sem gastar tanto. Em alguns casos, o desempenho deste tipo de câmbio pode apresentar “engasgo” entre as trocas de marchas, mas tal característica tem diminuído ao longo do tempo com a evolução do sistema.

O que é câmbio automatizado de dupla embreagem?
Os modelos automatizados com dupla embreagem têm como característica uma troca mais rápida e suave, já que enquanto uma marcha está em funcionamento, a próxima já está pré-engatada, o que diminui o espaço e perda de força entre mudança e outra. Uma embreagem é responsável pelas pares, enquanto a outra fica com as ímpares.

O que é câmbio CVT?
O termo CVT (Continuously Variable Transmission, em inglês) se refere a um sistema de transmissão continuamente variável, que permite criar relações de marchas virtualmente infinitas sem degraus entre as trocas, como acontece nos sistemas manuais, automatizados e automáticos convencionais.

Para quem é indicado o câmbio CVT?
A principal vantagem do câmbio CVT é que, ao manter o carro sempre na faixa ideal de rotação do motor, ele possibilita reduzir o consumo de combustível. Entretanto, este equipamento cria uma sensação de marcha única, já que as troca são quase imperceptíveis, o que pode desagradar motoristas que buscam uma condução mais emocional.

Como funciona o câmbio CVT?
Existem diversos tipos de câmbio CVT, mas o sistema continuamente variável mais empregado atualmente consiste em duas polias interligadas por uma correia metálica. Enquanto os demais tipos de transmissão utilizam engrenagens, no câmbio CVT são as polias variáveis que têm a função de criar as relações das marchas.

Sendo assim, o sistema CVT identifica qual é a faixa ideal de rotação do motor e modifica a relação entre a polia que envia a força do motor e a polia que recebe esta força na caixa de transmissão, variando a posição destes componentes. Como não existem marchas pré-definidas, as mudanças das relações são praticamente imperceptíveis, o que dá a impressão de que o veículo está sempre em uma mesma marcha, mudando apenas a velocidade.

Como manter o bom funcionamento da caixa de câmbio?
O ideal é sempre seguir as recomendações indicadas pela fabricante no manual do proprietário de cada veículo, mas algumas medidas podem ser tomadas para preservar melhor o conjunto da transmissão.

No caso do câmbio manual, alguns hábitos podem garantir uma maior durabilidade do sistema, como não deixar o pé sobre o pedal de embreagem ou a mão sobre a alavanca de transmissão e não segurar o carro com a embreagem em ladeiras ao invés de utilizar o freio de mão. Além disso, não é indicado acionar a ré sem que o carro pare completamente ou forçar o acionamento de marchas fora da faixa de rotação ideal.

Para preservar os sistemas de transmissão, também é preciso ficar atento a vazamentos e à necessidade de substituição do óleo de o câmbio. A periodicidade da troca é indicada pela própria fabricante, o que permite que as peças deste componente trabalhem sem atritos, garantindo uma maior durabilidade ao sistema.

10 coisas que você precisa saber sobre câmbio

1. O barulho metálico que se escuta ao não conseguir engatar uma determinada marcha na transmissão manual se deve a uma falha de acoplamento entre os dentes da luva de engate com a engrenagem;

2. Quando o veículo está andando para frente e se tenta acionar a ré, ocorrerá o mesmo barulho, já que a engrenagem utilizada para inverter o sentido não poderá ser acoplada - exceto em veículos com ré sincronizada, que permite acionar a marcha reversa com o veículo a baixas velocidades;

3. Nunca force um veículo automático a pegar no tranco, pois o sistema que lubrifica a caixa de transmissão não funciona com o carro desligado, o que provoca atrito entre as peças e, consequentemente, danifica o câmbio.

4. Antigamente, os câmbios manuais garantiam um melhor aproveitamento do desempenho do carro, mas com a evolução das transmissões automáticas, automatizadas e CVT, as transmissões independem da ação do motorista já são mais rápidos e econômicos que o equivalente manual em alguns veículos;

5. Os números 1, 2 e 3 que aparecem em algumas transmissões automáticas permitem limitar o veículo àquela marcha, podendo ser utilizado como um freio-motor em descida, por exemplo;

6. Os seletores de marchas por borboletas atrás do volante ou por botões na alavanca dos câmbios automáticos e automatizados não mudam o tempo necessário para a caixa de transmissão trocar de marcha, sendo apenas uma forma de enviar ao sistema os comandos desejados pelo condutor;

7. Nos câmbios automáticos existe uma pequena tampa, normalmente localizada ao lado da alavanca com a denominação “shift lock”. Esse dispositivo permite destravar o câmbio em situações de emergência ou quando o veículo precisa estar em ponto morto. Como alguns sistemas só permitem tirar a chave do contato quando a alavanca está em “P” (Park), é preciso abrir a tampa e destravar o câmbio para mudar para a posição “N” (Neutro);

8. A função overdrive atua como uma sobremarcha - normalmente a última - que serve para reduzir as rotações do motor em velocidades de cruzeiro, diminuindo o consumo de combustível tanto nas transmissões manuais, como nas automatizadas e automáticas, exceto no câmbio CVT;

9. Caixa de redução é uma caixa de engrenagens acoplada ao câmbio que permite multiplicar a força enviada às rodas. Esse item é normalmente encontrado em veículo 4x4 ou fora de estrada;

10. Alguns câmbios automatizados já possuem a função “creeping”, que faz o veículo avançar lentamente sem que o acelerador seja pressionado - como um automático convencional. Este sistema não desgasta a embreagem, pois ele controla o torque e a rotação do motor para evitar desgastes prematuros e aumento do consumo de combustível.

 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro