O que muda no preço dos carros com o Rota 2030?

Redução de impostos e incentivos tributários vão deixar os carros mais baratos no Brasil? A dúvida permanece

11/07/2018 - Redação / Fotos: Divulgação / Fonte: iCarros

A nova regulamentação automotiva no Brasil, chamada de Rota 2030, chega para substituir o Inovar Auto e terá validade por um período mais extenso que o regime anterior. Com mudanças na tributação e incentivos ficais, comprar um carro no Brasil vai ficar mais barato? Respondemos agora a essa e outras perguntas.

Leia mais:
Rota 2030: o que já sabemos sobre o novo regime automotivo
Sandero tem o seguro mais barato dos mais vendidos em Junho
Custo-benefício: 5 carros que custam pouco e entregam muito

Segundo Antonio Megale, presidente da ANFAVEA em entrevista ao G1, o objetivo do Rota 2030 não é reduzir o preço dos carros, já que não haverá redução de imposto na comercialização. A ideia é que o valor economizado com a redução de alíquotas de impostos para os veículos permaneça com as montadoras para que seja investido em pesquisa e desenvolvimento (um dos requisitos do Rota 2030).

Simule o valor das parcelas do seu carro novo

Há um porém: carros híbridos e elétricos ficarão sim mais baratos a partir de novembro. A alíquota atual de IPI de 25% descerá para uma faixa entre 7% e 20%, resultando em uma queda no preço dos carros dessa categoria. Vale lembrar que aqui no Brasil temos apenas nove carros híbridos e um elétrico à venda (confira a lista aqui).

A alíquota para híbridos e elétricos dependerá da eficiência energética de cada modelo e também do peso que ele possui. Para os híbridos com eficiencia igual ou menor a 1,1 MJ/km, o imposto será de 9% para carros até 1.400 kg, 10% entre 1.401 kg e 1.700 kg e 11% se for acima de 1.701 kg. Já entre 1,11 MJ/KM e 1,68 MJ/KM o imposto sobe para 12% até 1.400 kg, 13% entre 1.401 kg e 1.700 kg e 15% acima de 1.701 kg. Para elétricos, o cálculo e peso são os mesmos, porém com imposto mais baixo: menor ou igual a 0,66 MJ/km terá imposto de 7% (até 1.400 kg), 8% (entre 1.401 kg e 1.700 kg) e 9% (acima de 1.701 kg). 

Como ficam os importados sem o super IPI?

Para carros importados não haverá uma redução de preço imediata. Antes, durante o Inovar Auto, as montadoras precisavam pagar uma alíquota de IPI extra caso ultrapassassem o limite máximo de unidades a serem importadas para o nosso país. A diferença é que agora não haverá esse imposto extra. Na prática, os preços podem ser reduzidos pelas montadoras já que não precisarão lidar com o valor extra. Cada caso varia de acordo com a fabricante que repassava, ou não, os valores do super IPI.

O que muda além dos valores?

Outro item que será perceptível no bolso do consumidor será o consumo de combustível dos carros. O Rota 2030 prevê melhora da eficiência energética (combinação entre gasto de combustível e emissão de poluentes) de 11% nos próximos anos. Na prática, teremos carros mais econômicos e que, consequentemente, frequentarão menos os postos.

Haverá também uma sensível melhora em segurança: os novos carros terão controle de tração e estabilidade como item de série até 2022. Toda frota nacional 0 km terá que ser equipada com o item, mas projetos novos e reestilizações já deverão adotar os equipamentos em 2020. Teremos também novos itens de segurança ainda não divulgados. Se for seguido o padrão feito na Europa, poderemos futuramente ter luzes diurnas de LED e frenagem autônoma de emergência entre os itens de série obrigatórios no Brasil.

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro