Samsung Motors: a marca de celular que faz carros da Renault

Nascida como parte do conglomerado da Samsung, hoje a fabricante de celulares e a de carros nada compartilham

28/08/2018 - João Brigato / Fotos: Divulgação / Fonte: iCarros

O nome Samsung para o brasileiro é associado a celulares, televisores e outros tipos de aparelhos eletrônicos. Mas, na Coreia do Sul, também é ligado aos carros, sabia? Criada em 1994 como desejo do presidente do conglomerado, Lee Kun-hee, a Samsung Motors nunca decolou, quase faliu algumas vezes e hoje, faz parte da Aliança (Renault-Nissan-Mitsubishi). Conheça agora a história dessa curiosa fabricante.

Leia mais:
Renault registra nome Interlagos: novo esportivo vem aí?
Inédito Renault Captur Coupe tem nome revelado: Arkana
Sedã off-road? Renault lança o exótico Logan Stepway

Lee Kun-hee, terceiro filho do fundador da Samsung e presidente do conglomerado de 1987 a 2008 e depois retomando ao posto em 2010 onde permanece até hoje, reconhecia a indústria automotiva sul-coreana como grande potência para o futuro do país. Com Kia, Hyundai, Daewoo e SsangYong em franca expansão local e global, o CEO viu que essa era a oportunidade de colocar a Samsung nesse mercado.

Procurando um carro da Renault? Veja aqui as ofertas

Ele tentou comprar a Kia na época, que passava por dificuldades financeiras, mas a batalha foi vencida pela Hyundai e Kun-hee viu a oportunidade de criar sua própria fabricante de carros. Assim, em 1994 foi criada a Samsung Motors e a Samsung Commercial Vehicles Co. LTD. Pouco antes de começar suas operações, ainda sem nenhum carro à venda, a Coreia do Sul foi alastrada por uma crise econômica e divisão automotiva da Samsung foi colocada à venda. A primeira interessada foi a Daewoo (que entrou em crise e foi adquirida pela GM), mas quem levou 70% das ações foi a Renault.

Confira ofertas de carros da Nissan

As negociações tiveram início em dezembro de 1998 e foram finalizadas apenas em setembro de 2000 com o pagamento de US$ 560 milhões pelas ações da Samsung Motors. Na mesma época, a divisão de veículos comerciais da Samsung faliu. A estratégia da Renault em adquirir a coreana tinha um objetivo: a Nissan. Em 1999, a Aliança já estava em formação e a Renault estava se aproximando cada vez mais da fabricante japonesa. E onde entra a Samsung nessa história? Ela havia feito um acordo com a montadora japonesa para vender na Coreia do Sul modelos rebatizados da Nissan.

Simule exatamente quanto pagar nas parcelas do seu próximo carro

Assim, depois de quase não existir, a Samsung Motors lançou em 1998 seu primeiro modelo da Coreia do Sul, o SM5, que não passava de um Nissan Maxima rebatizado. Ele era oferecido com motores 1.8 e 2.0 quatro cilindros ou os V6 2.0 e 2.5, sempre atrelados à transmissão automática de quatro marchas ou manual de cinco. O modelo é o mais longevo da marca e teve seu desenvolvimento centrado na Coreia do Sul. Atualmente está em sua terceira geração, que é vendida em outros mercados como Renault Safrane ou Latitude.

Apesar de ter começado sua vida oferecendo carros da Nissan, a Samsung passou a atuar com modelos Renault após a fabricante francesa adquirir do conglomerado 10% das ações da montadora. Foi assim que o Samsung SM3, originalmente um Nissan Altima, se transformou em um Renault Fluence na troca de geração. Outros Renault rebatizados também foram lançados ao longo do tempo: o Captur se tornou QM3 em 2013, o Talisman chegou em 2016 como SM6 e o novo Koleos é chamado de QM6 por lá.

Apesar da profusão de modelos Renault, a Samsung também era focada no desenvolvimento de carros específicos para a Coreia do Sul que, eventualmente, ganhavam outros mercados. Foi assim com o QM5 projetado pela marca em 2007 e que só ganhou o mercado europeu como Renault Koleos no ano seguinte.

Recentemente, a Renault iniciou suas operações na Coreia do Sul para assumir de vez o lugar da Samsung. Isso se deve ao fato de que a Aliança detém os direitos sobre o nome da fabricante de celulares para ser usado em carros até 2020 e não haverá renovação contratual, como aponta a imprensa local. Hoje, a Renault da Coreia do Sul vende apenas o Clio e o elétrico Twizy, mas, até 2020, passará a comercializar toda linha da Samsung com seus respectivos nomes internacionais.

A título de curiosidade, os nomes dos carros da Samsung têm um real significado. A sigla SM usada nos sedãs significa Samsung Motors, enquanto o QM que batiza os SUVs quer dizer Quest Motoring. Já o número representa o tamanho do modelo: 3 para pequeno, 5 e 6 para médio e 7 para grande.

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro