Disco de freio empenado: precisa trocar?

Valor da retífica geralmente é inferior, mas nem sempre é a melhor solução

13/01/2021 - MixAuto / Foto: Divulgação / Fonte: iCarros

Existe uma discussão polêmica entre os especialistas em mecânica automotiva sobre retificar ou não o disco de freio.

Quando levamos o carro à oficina mecânica para realizar a troca das pastilhas de freio, o mecânico deve checar se também há necessidade de realizar o reparo no disco de freio - que atua em conjunto com as pastilhas.

Leia mais:
+ Ar-condicionado ou janela aberta: qual gasta mais?
+ Motor turbo tem vida útil mais curta?
+ Andar na “banguela” gasta menos combustível?

Mas será que sempre é preciso trocar um disco de freio empenado? Como saber quando vale mais a pena dar passe no disco?

Conversamos com Cristiano Gelio, gerente de uma auto center especialista em manutenção de freios automotivos da Zona Leste de São Paulo, e Luiz Cortez, gerente de uma renomada auto center da Zona Sul paulistana, para entender todos os detalhes sobre o assunto e sanar essa discussão de uma vez por todas.

O que é disco de freio empenado?

Ao dizer que “o disco de freio está empenado”, o mecânico refere-se à deformação e até o desgaste da peça, cuja espessura estipulada pelo fabricante não deve ser inferior a 2 milímetros.

Caso a espessura do disco de freio esteja abaixo dos 2 milímetros, a capacidade de frenagem do veículo é comprometida, sendo inevitavelmente necessário realizar a troca.

Como saber se o disco de freio está empenado?

O procedimento correto para saber se um disco de freio está empenado é com o auxílio de um relógio comparador com base magnética, encontrado em oficinas especializadas em manutenção de freios automotivos.

Mas, você também é capaz de deduzir um possível empenamento no disco do seu carro ao dirigir. Basta se atentar para alguns sinais, como:
- Pedal de freio e/ou volante trepidando ao acionar o freio;
- O carro demora mais do que o comum para frear;
- É preciso aplicar mais força no pedal de freio para conseguir frear.

Se o seu carro apresenta um ou mais desses sintomas, dirija-se o quanto antes até uma oficina mecânica de confiança para realizar pelo menos uma análise do sistema de freio e não correr o risco de possíveis batidas e até acidentes graves.

O que é dar passe em disco de freio?

O serviço de retífica, popularmente conhecido como “dar passe em disco de freio”, consiste em retirar camadas da superfície da área de segurança do disco de freio para corrigir o desgaste e as imperfeições.

Idealmente, a retífica do disco de freio só pode ser realizada por um especialista, após uma análise aprofundada sobre o componente com o auxílio de um relógio comparador e de um micrômetro - ferramentas específicas e indispensáveis para o serviço.

Ainda, a retífica do disco só deve ser realizada se o disco permanecer dentro das medidas ideais. Ou seja, a espessura do disco de freio não deve ficar abaixo da espessura mínima indicada no manual do fabricante - geralmente, de 2 milímetros.

Retífica vs. Troca do Disco de Freio

Alguns especialistas em freios defendem que retificar o disco de freio acaba fragilizando a peça e agravando seu desgaste precoce.

Cristiano Gelio, gerente de auto center especialista em manutenção de freios, aconselha realizar a troca do disco de freio ao invés de optar pela retífica, pois defende que um disco novo e de qualidade pode garantir muito mais segurança do que um disco retificado.

“A grande questão é a segurança. Antigamente, era mais comum dar passe em disco de freio, porque o mercado nacional ainda era um pouco precário em relação a discos de freio. Então, valia mais a pena retificar do que importar um novo. Mas hoje você encontra muita coisa de qualidade e não tão mais cara do que a retífica”, defende Cristiano.

Contudo, segundo uma renomada fabricante de discos de freio situada em Joinville (SC), a troca do disco de freio nem sempre é necessária. Existem casos em que a retífica do disco de freio pode ser realizada e o serviço ainda sai mais em conta. O problema é quando o barato sai caro.

Inclusive, se o custo para a aquisição de um disco novo for inferior ao custo da retífica, desconfie!

Seja para carros populares ou carros importados, discos de freio novos e de qualidade costumam ser mais caros do que a retífica.

No mercado dos automóveis importados, um disco de freio novo chega a custar até quase R$ 8.000,00 mil reais - como é o caso do disco de freio para o Porsche Panamera 4.8 GTS.

Agora, se o disco de freio do seu veículo for original de fábrica, talvez valha mais a pena fazer a retífica do que comprar um novo de marca inferior, tendo em vista que há marcas que não atendem aos quesitos de segurança garantidos em um disco de freio original.

Luiz Cortez defende que a retífica do disco de freio pode ser feita uma única vez após a chamada “vida virgem” do disco, desde que seja em um disco original de fábrica ou de excelente qualidade e somente por um especialista no assunto.

“Quando bem feita, a retífica do disco garante que você rode aí, pelo menos, coisa de mais 40 mil quilômetros tranquilamente. Agora, retificar disco de baixa qualidade ou disco já retificado, sem chance!” - defende Luiz.

Ainda assim, como já dissemos nesta matéria, existem alguns pontos a se atentar ao fazer a retífica do disco de freio.

É preciso garantir que, após a retífica, o disco de freio permaneça dentro da espessura mínima de trabalho indicada pelo fabricante - geralmente, dentro dos dois milímetros.

Após atingir a espessura mínima, o disco de freio já não garante mais eficiência e segurança na frenagem. Nesse caso, a troca do disco é indispensável.

Durabilidade média de um bom disco de freio

Basicamente, um disco de freio de qualidade aguenta até 80.000 quilômetros rodados, sendo os primeiros 40 mil km referentes à chamada “vida virgem” e mais 40 mil km após uma retífica. Mais que isso, sem chance.

Ainda assim, estes valores representam apenas uma média para que a manutenção preventiva seja realizada.

Para Luiz Cortez, não há uma regra absoluta. Cada caso é um caso e o desgaste do disco de freio depende de muitas variáveis, como os hábitos de condução, por onde o carro circula, se a peça é original de fábrica, dentre outras coisas além da quilometragem.

“Acabamos de fazer uma revisão completa num Fox 2006 aqui na oficina - um carro já com 15 anos, quase 175 mil km rodados e ainda com os discos de freio originais e em bom estado, acredita?”, conta Luiz.

A única indicação ao fazer a troca das pastilhas de freio e não fazer a troca o disco de freio é realizar cerca de dez frenagens dos 60 km/h para os 40 Km/h e mais outras dez frenagens de 40 km/h até a parada total do veículo para “amaciar as pastilhas de freio” e evitar trancos.

Ao trocar as pastilhas de freio, devo checar o disco de freio? Por quê?

Pastilhas de freio gastas, que chegaram ao fim da vida útil, aumentam o desgaste dos discos de freio. Se a pastilha de freio não for substituída, o material de revestimento se desgasta e a base de aço entra em contato com o disco de freio, danificando-o.

Idealmente, ao realizar a troca das pastilhas, deve-se checar a necessidade de fazer a retífica ou até mesmo a troca do disco de freio.

Quando trocar o disco de freio?

Cada fabricante no mercado apresenta uma vida útil para os seus discos de freio. O prazo dessa vida útil é dado com base em testes rigorosos e repetitivos.

Recomenda-se realizar uma avaliação de todo o sistema de freio e seus periféricos a cada 40 mil quilômetros rodados, justamente para verificar se o disco de freio está próximo ou já atingiu sua vida útil estipulada.

Ainda assim, é preciso verificar caso a caso para saber quando realmente deve-se fazer a troca do disco de freio, com base no histórico do carro, perfil do condutor e suas condições de uso.

É muito importante verificar o disco de freio e o fluido de freio sempre que fizer a troca de uma pastilha de freio, que se dá a cada 10 mil km, normalmente.

Se, ao pisar no freio, o volante do seu carro estiver tremendo, provavelmente o disco de freio já está gasto, precisando de reparo. E o quanto antes!

Afinal, os discos de freio são peças fundamentais para a segurança no trânsito, já que um sistema de frenagem comprometido pode causar graves acidentes.

Onde trocar o disco de freio do carro?

Quando for realizar a troca do disco de freio do seu carro, procure uma oficina especializada e, acima de tudo, dê preferência às marcas de disco de freio que já tem nome no mercado para garantir um produto de qualidade.

Caso o mecânico alerte sobre a necessidade da troca de freio, não fique apreensivo quanto a colocar a mão no bolso para realizar o serviço e evitar acidentes graves. Afinal, quanto vale uma vida?

Fonte: MixAuto Center

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro Auto

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro
Para proteger e melhorar a sua experiência no site, nós utilizamos cookies e dados pessoais de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao navegar pela nossa plataforma, você declara estar ciente dessas condições.