O que significam os números e letras dos pneus?

Letras e números impressos nas laterais dos pneus contêm informações importantes sobre suas características

01/04/2021 - Redação / Foto: Divulgação / Fonte: iCarros

É comum associarmos os pneus dos carros aos nossos calçados. Afinal, assim como os sapatos, são eles que estão entre nós – e o nosso carro – e o chão que pisamos.  

E, da mesma forma que, ao comprar um novo “pisante” precisamos escolher um par com medidas compatíveis com nossos pés e, também, apropriado para o uso que faremos dele (bota, sandália, chinelo, mocassim; para frio, para o calor…), há pneus com características e medidas indicadas para cada modelo de veículo. 

Leia mais:
+ Guia da calçada pode ser a vilã do seu pneu
+ Aprenda a calibrar o pneu do seu carro em 5 passos
+ Tudo sobre pneus

Se nos calçados encontramos essas informações registradas nas embalagens (e, algumas vezes, em solas e palmilhas), nos pneus elas são colocadas nas laterais – ou costados. Como são muitos e não caberia ali por extenso, essas especificações técnicas são grafadas em código e em sequência.  

Antonio Roncolati, diretor da Unidade de Pneus de Passeio da Goodyear, explica que entender esse “idioma de borracha” é fundamental para poder substituir corretamente esses componentes por outros com as mesmas medidas.  

“Essa sequência é como um documento de identificação, e os dados ali disponíveis são essenciais para o condutor não errar ao trocar os equipamentos. Os substitutos devem seguir as medidas do original para evitar problemas”, recomenda. 

Vamos então aos códigos dos pneus: 

1 – Indicação (categoria de uso)  

É expressa em uma sequência iniciada por letras, que indicam o uso adequado para cada tipo de automóvel. Um "P", por exemplo, mostra que é um pneu para carro de passeio. Já um "LT" indica que é especial para utilitários leves (SUV’s e picapes).  

Quando não há letra nenhuma, é sinal de que o pneu segue o sistema de identificação europeu. 

2 – Medida

A sequência indica as medidas dos pneus e começa pela largura, em milímetros. Essa dimensão tem influência direta na aderência que o carro tem com a pista.

Em seguida, vem o perfil, que é a relação entre a altura da seção transversal do pneu com sua largura, expresso por um percentual. Uma relação altura/largura de 65, por exemplo, indica que a altura do pneu equivale a 65% de sua largura.  

Já a letra seguinte revela o tipo a estrutura de construção dos pneus: “R”, para radial (os atuais), “D” ou "-" para diagonal (mais antigos). O número seguinte indica o diâmetro da roda em polegadas (14, 15, 16 etc.). 

3 – Carga máxima 

O peso máximo que um pneu pode aguentar (desde que calibrado de forma correta) está expresso no número seguinte, de acordo com uma tabela.

O número 80, por exemplo, indica capacidade máxima de 450 kg. “Respeitar esse indicador é fundamental”, alerta Antonio Roncolati. “Caso contrário, o veículo perde capacidade e isso pode até provocar um acidente”, explica. 

4 – Velocidade máxima

Fechando a sequência vem uma letra que revela a velocidade máxima indicada para o pneu. Esse abecedário resumido começa com “N”, para até 140 km/h, e termina com Y, para até 300 km/h (veja a tabela completa abaixo).  

Ter no carro pneus que suportam 300 km/h não deve ser um convite para chegar a essa marca em uma estrada, claro.

"Esses índices indicam apenas a capacidade de velocidade máxima do pneu em linha reta quando devidamente calibrado”. Diz o diretor, lembrando que é fundamental que todo o conjunto montado no carro tenha a mesma classificação de velocidade. 

Tabela de classificação de velocidade do pneu 

Código     Velocidade máxima (km/h) 

N         140 

P         150 

Q         160 

R         170 

S         180 

T         190 

U         200 

H         210 

V         240 

W        270 

Y         300 

 

Resumindo, para você não se perder: a notação “205 – 55 – R19 - 91V”, por exemplo, indica um pneu com 205 mm de largura, altura equivalente a 55% dessa largura, radial, para rodas de 19 polegadas, para até 615 kg (lembre-se que cada roda recebe apenas um quarto do peso total do carro) e velocidades de até 240 km/h. 

Mas isso não é tudo! Além do que está estampado na parte superior do pneu, há outras indicações que ajudam a conhecer melhor o produto.  

Na parte de baixo há uma sequência chamada DOT (de “Departamento de Trânsito”). Nela estão, em sequência, informações sobre o fabricante, espessura (de acordo com a classificação da própria marca), identificação de produção (também do fabricante) e, por fim, números que revelam a data de fabricação do pneu. 

Por exemplo, num pneu de marca Goodyear, no DOT “Y16L 26X2 2515”, Y16L é o código da fábrica, 26X2 o tipo de construção e 2515 indica que ele foi fabricado na 25ª semana do ano de 2015.  

“Essa data é especialmente importante, porque ajuda a acompanhar o prazo de garantia dos produtos, que é de 5 anos”, explica o especialista. 

Outro indicador importante é o TWI (de Tread Wear Indicator), uma marcação feita com pequenos ressaltos de borracha nos sulcos da banda de rodagem. Quando essa marcação é atingida pelo desgaste, é sinal que chegou a hora da troca. 

E agora, que tal tentar localizar todas essas informações nos pneus do seu carro? 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

 

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

  • Seguro Auto

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro
Para proteger e melhorar a sua experiência no site, nós utilizamos cookies e dados pessoais de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao navegar pela nossa plataforma, você declara estar ciente dessas condições.