F1 70 anos: 4 tecnologias que saíram da pista para seu carro

Maior categoria do automobilismo completa 70 anos e foi fundamental para o desenvolvimento da indústria automobilística

19/05/2020 - Rodrigo França e Luiz Felipe Chaguri / Fotos: Divulgação / Fonte: iCarros

A Fórmula 1 é um dos esportes que mais trabalha com tecnologia no mundo e isso tem sido fundamental nos últimos 70 anos, desde que a categoria disputou seu primeiro GP, no dia 12 de maio de 1950 no tradicional circuito de Silverstone.

Para comemorar o aniversário da F1, listamos quatro elementos que foram bastante usados na categoria e que posteriormente chegaram também aos carros de rua. Confira.

1 - Câmbio semiautomático

O carro da Ferrari foi o primeiro da F1 a ter um câmbio semiautomático em 1989.  Logo na estreia, Nigel Mansell foi o vencedor da corrida no GP do Brasil, na época realizado no Rio de Janeiro.

Inicialmente colocado nos veículos de luxo, os câmbios semiautomáticos foram aprimorados para os carros de rua, assim as trocas de marchas se tornaram cada vez mais eficientes, eliminando aqueles trancos indesejáveis para qualquer passageiro.

Atualmente, muitos carros de rua já utilizam o câmbio automático, enquanto a F1 adota as borboletas atrás dos volantes para que os próprios pilotos troquem as marchas com as mãos.

2 - Desenvolvimento de pneus

Os pneus se desenvolveram muito com o passar dos anos na F1. Apesar de serem modelos diferentes dos que chegam nas ruas, foi justamente o desenvolvimento da tecnologia dos pneus, principalmente os de chuva presentes na F1, que as fornecedoras puderam aprimorar seus modelos para as versões de carros de passeio. Os testes com os sulcos e as ranhuras dos pneus de F1 foram fundamentais para a qualidade dos pneus dos veículos de passeio.

A vida de um pneu de carro de rua, inclusive, tem um período muito maior que o de um carro de F1, que anda no limite para obter o máximo de performance. As provas de F1 possuem aproximadamente 300 km e as equipes costumam trocar uma ou duas vezes os pneus por prova, em estratégias definidas juntas com a fornecedora oficial, a Pirelli. Enquanto nos carros de rua, é comum os usuários andarem por mais de 40 mil km com o mesmo jogo de pneus, variando conforme a qualidade do pneu e o modelo do veículo.

3 - Freios e controle de tração

Os freios ABS tiveram desenvolvimento nas pistas, mas não necessariamente na F1, mas com outra grande competição mundial, as 24 Horas de Le Mans. O controle de tração também veio das pistas. Os discos dos carros de F1 são de fibra de carbono para as provas, mas esse material ainda é pouco utilizado nos veículos mais populares.

4 - Motores Híbridos

Os motores híbridos são utilizados em praticamente todas as categorias de ponta do automobilismo e essa tecnologia foi fundamental para que o desenvolvimento também chegasse nos veículos de rua.

Essa tecnologia mistura os tradicionais motores de combustão interna com os motores elétricos, que também seguem se desenvolvendo bastante, inclusive na Fórmula E. Uma das grandes vantagens dos híbridos é o melhor aproveitamento do próprio motor e também dos combustíveis, seja ele gasolina ou etanol.

No sistema híbrido, cada um dos dois propulsores tem o gerenciamento de uma central eletrônica, assim o carro pode atingir um nível alto de eficiência energética.

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro Auto

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro