Análise: Pré-temporada da F1 é encerrada com equilíbrio

Mercedes segue à frente, mas surpresas podem aparecer na parte de cima do pelotão, com destaque para a Racing Point

02/03/2020 - Rodrigo França e Luiz Felipe Chaguri / Fotos: Divulgação / Fonte: iCarros

A Fórmula 1 encerrou na última sexta-feira (28) as sessões de testes de pré-temporada de 2020, que foram realizados em seis dias na pista de Barcelona, na Espanha. O finlandês Valteri Bottas, da Mercedes, cravou o melhor tempo dos treinos com 1min15s732 e mostrou que a equipe alemã deve continuar seu domínio em 2020.

Mais sobre a F1:
+ Testes da F1 terminam com Mercedes na frente
+ Fórmula 1: super galeria com os novos carros para 2020
+ Ferrari termina penúltimo dia de testes da F1 na frente

No último dia de treinos, 11 pilotos conseguiram andar no mesmo segundo. Os testes, no entanto, mostram historicamente que não são muito conclusivos para sabermos exatamente as forças das equipes. Isso porque as equipes utilizam diversas configurações e buscam dados para várias situações de corrida.

De qualquer maneira, muitas escuderias mostraram novidades interessantes para a temporada e até novidades aerodinâmicas, com destaque para o volante inovador da Mercedes.

O volante inovador da Mercedes

A Mercedes surpreendeu a todos no segundo dia de testes com um volante inovador: o DAS, Dual Axis Steering ou Direção de Eixo Duplo, que é basicamente um volante ajustável que o piloto pode mover para frente e para trás.

Com isso, o posicionamento da suspensão muda, o que também afeta a posição dos pneus e sua área de contato com a pista. No entanto, o ganho que a Mercedes busca ter com isso ainda é uma incógnita. As outras equipes buscam estudar o sistema e também o próprio regulamento para que sigam o desenvolvimento de seus carros antes da estreia no GP da Austrália.

Melhores tempos da pré-temporada da F1

A Mercedes foi a única equipe que liderou três dias de testes em Barcelona. Com três melhores tempos, a escuderia teve Lewis Hamilton no topo no 1º dia (1min16s976), enquanto Bottas foi o mais rápido no terceiro e no sexto dia (1min15s732 e 1min16s196).

Outra equipe destaque nos treinos foi a Alfa Romeo com o experiente Kimi Raikkonen, que liderou o segundo dia com 1min17s347, e o piloto de testes Robert Kubica, mais rápido do quarto dia de treinos em Barcelona.

Sem mostrar grande empolgação, a Ferrari liderou o quinto dia com o alemão Sebastian Vettel, que cravou o tempo de 1min16s841 com os compostos de pneus extra-macios (C5). Gerente mundial de motorsport da Pirelli, Mario Isola avaliou a diferença de tempo entre os pneus nos testes coletivos.

“Em termos de diferenças de desempenho, vimos cerca de 0s45 entre C5 e C4, 0s3 segundo entre C4 e C3 e aproximadamente 0s45 segundo entre C3 e C2, sendo esse intervalo final sendo um pouco mais do que esperávamos aqui. Os preparativos para a Austrália estão completos e, após seis dias de testes, todo mundo está ansioso para voltar a correr novamente”, diz Isola.

Preocupação com a “Mercedes Rosa”

Chefe de equipe da Ferrari, Mattia Binotto mostrou uma preocupação com a evolução da Racing Point após os testes. O diretor italiano acredita que a equipe que usa motores Mercedes está bem próxima da Ferrari nos tempos.

"Certamente eles (Racing Point) estão muito perto. Não acho que seja uma surpresa olhando o carro que eles fizeram, mas, certamente, são uma ameaça. Mas confiamos no nosso potencial de desenvolvimento para que, no futuro, a gente não seja ameaçado", disse Binotto.

Andrew Green, um dos diretores da Racing Point, tentou manter os pés no chão após os testes, mas não escondeu a felicidade pelas impressões iniciais do carro.

“Estaria mentindo se dissesse que não estamos felizes até aqui, estamos bem felizes sim. O nível de performance que vimos até agora foi o esperado desde que tiramos o carro do túnel de vento e colocamos no simulador", disse Green.

O tempo mais rápido dos últimos 10 anos

Se a pré-temporada costuma trazer mais dúvidas que certezas sobre a temporada, um dado é possível cravar: a Fórmula 1 está cada vez mais rápida na pista.

A volta mais veloz da pré-temporada de 2020, que foi cravada por Bottas, superou as melhores marcas das últimas 10 pré-temporadas da F1. Entre 2010 e 2020, a categoria testou fora da Catalunha somente em 2014, quando Felipe Massa cravou a melhor marca da pré-temporada no Bahrein com a Williams.

E como o resultado da pré-temporada normalmente não costuma mostrar quem tem o carro mais rápido, a Ferrari vinha dominando os tempos nas últimas quatro pré-temporadas. Kimi Raikkonen foi o mais rápido em 2016 e 2017, enquanto Sebastian Vettel foi o mais veloz em 2018 e 2019, anos em que a Mercedes acabou levando quatro títulos, três com Hamilton e um com Nico Rosberg.

Confira os melhores tempos das últimas pré-temporadas da F1:

2020 – Valteri Bottas (Mercedes) – 1min15s732

2019 – Sebastian Vettel (Ferrari) – 1min16s221

2018 - Sebastian Vettel (Ferrari) – 1min17s182

2017 – Kimi Raikkonen (Ferrari) – 1min18s634

2016 – Kimi Raikkonen (Ferrari) – 1min22s765

2015 – Nico Rosberg (Mercedes) – 1min22s792

2014 – Felipe Massa (Williams) – 1min33s258*

2013 – Nico Rosberg (Mercedes) – 1min20s130

2012 – Kimi Raikkonen (Lotus) – 1min22s030

2011 – Michael Schumacher (Mercedes) – 1min21s268

2010 – Lewis Hamilton (McLaren) – 1min20s472

*testes realizados no Bahrein 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

 

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro