Como o fracasso de Alonso explica grandeza da Indy-500

Em busca da inédita tríplice coroa, espanhol não se classificou para edição deste ano com a equipe McLaren

21/05/2019 - Rodrigo França / Foto: Divulgação / Fonte: iCarros

Qual é a prova mais importante do automobilismo mundial? Difícil apontar uma candidata, mas certamente está entre as integrantes da tríplice coroa: 24 Horas de Le Mans, GP de Mônaco de F1 e 500 Milhas de Indianápolis.

Leia mais:
Brasil volta à F1 com Fittipaldi e Sette Câmara
Cacá Bueno faz história em Mônaco com a Jaguar
I-PACE e-TROPHY: Cacá e Jimenez fazem dobradinha brasileira

E é justamente a Indy-500 a mais antiga e tradicional de todas, até porque já é literalmente centenária, sendo disputada neste ano sua 103ª edição. 

A largada será neste domingo, mas uma das grandes histórias já foi protagonizada no último final de semana e justamente pelo único piloto em todo mundo que poderia finalmente vencer a tríplice coroa: Fernando Alonso.

Vitorioso em Mônaco na F1 e nas 24 Horas de Le Mans no ano passado com a Toyota, o espanhol buscava em 2019 a conquista da Indy-500 para se igualar a Graham Hill como único piloto a ter vencido as três provas. Alonso correu em 2017, chegou a liderar a prova, mas acabou abandonando a corrida.

Neste ano, ao contrário de sua estreia, o espanhol veio com a estrutura própria da McLaren – e não mais em uma associação com a Andretti, uma das três maiores equipes da Indy ao lado de Penske e Ganassi.

A operação britânica se mostrou equivocada. Com apoio logístico da também inglesa Carlin, o time foi incapaz de colocar Alonso entre os 30 melhores no treino de sábado. 

Cada piloto faz uma volta de classificação e, caso não consiga a vaga, pode tentar outras vezes – Alonso tentou nada menos que cinco vezes!

Ficou nítida a diferença com a associação de 2019 – a Carlin, embora vitoriosa em diversas categorias na Europa, apenas inicia sua jornada nos EUA nos últimos anos, estreando em 2018 na Indy.

E, como num conto de fadas, no Bump Day, onde os seis últimos lutariam pelas três vagas finais, Alonso tinha o 33o lugar até a última tentativa de Kyle Kaiser, com a pequena equipe Juncos. Eis que por apenas míseros dois centésimos de segundo, ele supera o espanhol e derruba a McLaren do grid da Indy-500.

Alonso por regulamento poderia ter uma vaga comprada de outra equipe, mas a McLaren já adiantou que não fará isso – justamente pelo espírito da prova de conquistar seu lugar na Indy-500.

Como os próprios americanos dizem, as 500 Milhas são o maior espetáculo do esporte a motor. Com histórias como a da classificação da Indy-500 2019, fica difícil discordar.

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros)
Instagram (instagram.com/icarros_oficial)
YouTube (youtube.com/icarros)

  • Compartilhe esta matéria:
 

Faça seu comentário

publicidade

  • Seguro automóvel

    Veja o resultado na hora e compare os preços e benefícios sem sair de casa.

    cotar seguro